No ano de 2000 com publicação da Resolução CONAMA 257, que orientava as empresas a darem a destinação ambientalmente adequada às baterias chumbo ácidas no final de sua vida útil, nos deparamos com a necessidade de criar no mercado um programa que adotasse a postura de coletar dentro dos padrões ambientais essas baterias. Assim, desenvolvemos procedimentos para ajudar as empresas a se adequarem na disposição desse resíduo em atendimento à resolução vigente.

O fato, que inicialmente foi visto como uma nova obrigação para as empresas, abriu nossos horizontes para uma oportunidade de reduzirmos a necessidade de importação dessa matéria prima secundária no país, além de estimularmos a reciclagem das baterias, melhorando dessa forma, nossa eficiência interna e produzindo novos negócios.

Analisando de perto o comportamento das empresas descobrimos a prática de venda dessas baterias sem um critério específico de preocupação com o meio ambiente. Nosso desafio foi contemplar no programa a conscientização das empresas a respeito dos prejuízos que o descarte inadequado causa ao meio ambiente, além das penalidades a que elas estavam sujeitas.

Com estas premissas o PRAC - Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada foi idealizado.

Acreditamos que o sucesso do PRAC, se deve em primeiro lugar por garantir a preservação do meio ambiente, por gerar divisas ambientais para a empresa, além de funcionar como um facilitador, pois, muitas vezes a empresa desconhece os mecanismos para realizar o descarte correto. Os números obtidos, desde a sua implantação em 2001, mostram que estamos caminhando na direção correta.

Após sua consolidação no descarte de baterias chumbo ácidas, entendemos que o Programa de Responsabilidade Ambiental Compartilhada pode ser aplicado na disposição ambientalmente adequada de outros resíduos. Então, desde janeiro de 2007, o PRAC também é amplamente utilizado para ajudar as empresas a desenvolverem novas ações de logística reversa de seus produtos no final da vida útil, bem como na destinação de seus resíduos e ou na disposição de seus rejeitos. Atendendo assim todos os pré-requisitos da Lei 12.305/2010 - PNRS – Política Nacional de Resíduos Sólidos.